Heineken no Brasil já está sendo produzida com uso de energia renovável

A partir de dezembro de 2020, a produção brasileira da cerveja Heineken começará a utilizar 100% de energia renovável nas fábricas de Alagoinhas ( BA), Araraquara (SP) e Ponta Grossa (PR). A ação faz parte da estratégia global da companhia “Brewing a Better World”, que tem como um dos objetivos reduzir as emissões de CO2 na produção em 80% até 2030. Para que isso seja possível, um dos movimentos é a utilização só de energia renovável nos processos de fabricação e envase. A iniciativa também compõe a estratégia de sustentabilidade do Grupo no Brasil, que pretende operar em totalidade com energia renovável até 2023. O uso de energia renovável se aplica a todo o processo produtivo e de envase dos produtos da marca Heineken.

O Grupo já conta com energia térmica limpa proveniente de biomassa nas Unidades de Araraquara (SP), Alagoinhas (BA) e Ponta Grossa (PR). Até 2023, o Grupo irá instalar novas caldeiras de biomassa na cervejaria de Jacareí (SP), que já opera com 100% de energia elétrica de fontes renováveis, convertendo assim essa e todas as outras 8 cervejarias no Brasil para operarem unicamente com energia renovável na produção de todos os produtos do portfólio da companhia.

Vanessa Brandão, diretora de marketing de marcas premium da empresa, se mostra orgulhosa pela Heineken ser capaz de produzir  usando energia verde e reduzindo significativamente o impacto no meio ambiente. Segundo ela, a sustentabilidade é um dos pilares da marca e também uma prioridade do Grupo no Brasil, e essa novidade demonstra aos consumidores não só o compromisso em ser um pouco mais verde a cada dia e fazer o bem para o planeta, mas também o potencial inovador que acompanha a marca desde 1873, por se tratar de um movimento pioneiro no setor.

Os rótulos das cervejas Heineken e Heineken 0.0 produzidas com energia renovável serão alterados e será acrescentado um símbolo que informará ao consumidor que o produto faz parte de uma cadeia energética mais limpa para produção e envase.

Via: canalenergia

, , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *