Escolas municipais serão equipadas com energia solar

O objetivo do Governo do Estado em promover a eficiência energética e a adoção de Sistemas de Geração de Energia com Células Fotovoltaicas (energia solar) nas 5.500 escolas municipais de todo o Paraná está mais perto de ser conquistado.

Um projeto-piloto entra em execução até o final deste ano e abrangerá 224 escolas, em sete municípios: Balsa Nova, Cascavel, Fazenda Rio Grande, Foz do Iguaçu, Maringá, Paranavaí e São José dos Pinhais, com investimento total de R$ 46.515.944,27.

Parte dos recursos é do Programa de Eficiência Energética (PEE), da Copel (Companhia Paranaense de Energia), a fundo perdido. As prefeituras complementam o restante com recursos próprios, ou obtidos pelo Sistema de Financiamento aos Municípios (SFM), liberados pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas (SEDU), com operação do Serviço Social Autônomo Paranacidade.

Escolas municipais serão equipadas com energia solar

Os sete municípios foram aprovados pelo Programa de Eficiência Energética da Copel, edital de 2019, o que significa a liberação de 55% a 62% dos valores a serem investidos em cada município. Em Balsa Nova, além das escolas municipais, estão previstas também a troca de luminárias das ruas por sistemas em LED e a implantação no prédio da Prefeitura de Projeto de Eficiência Energética com a posterior substituição da energia hidrelétrica pela de geração fotovoltaica.

Na primeira etapa, serão realizados os projetos para garantir maior eficiência energética em cada unidade. Isso significa a avaliação e substituição de equipamentos e instalações elétricas por produtos mais econômicos, como a troca de lâmpadas por unidades a LED, que oferecem a mesma iluminação com consumo menor e sem a geração de calor.

Na sequência, são feitos os projetos para a implantação dos painéis para a geração de energia.

A diminuição de custos é um dos principais benefícios. De acordo com o superintendente-executivo do Paranacidade, Álvaro Cabrini, o investimento a ser realizado retornará para os cofres municipais em menos de três anos, em decorrência da economia a ser gerada por equipamentos mais eficientes e pela geração da energia a ser consumida.

OUTROS MUNICÍPIOS – “Nosso objetivo é levar esses benefícios a 180 municípios do Estado, no período de um ano”, disse o secretário da SEDU, João Carlos Ortega. Segundo ele, todos os municípios do Paraná já podem solicitar informações e manifestar a intenção de aderir à proposta de inovação, que promove economia e atende às normas de proteção ambiental.

Para viabilizar as ações, as prefeituras podem usar recursos próprios ou de financiamento (SFM) ou aguardar a publicação do Edital de 2020, do Programa de Eficiência Energética da Copel, que definirá os projetos que receberão recursos a fundo perdido. No caso de a própria prefeitura realizar, de forma independente, a etapa que leva à maior eficiência energética, os projetos devem seguir as referências utilizadas pelo Paranacidade.

Via: aen

, , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *