AEM alerta consumidores sobre selos do Inmetro que atestam eficiência energética, ruído e qualidade

No Dia das Mães, a agência de Metrologia, Avaliação da Conformidade, Inovação e Tecnologia do Tocantins (AEM) listou alguns cuidados que devem ser seguidos na hora de comprar para evitar problemas de consumo e acidentes. 

Nota fiscal

Presidente da AEM, Rérison Castro, lembra que a emissão da nota fiscal é a garantia que o consumidor tem no caso de trocas, direitos ou reclamações. “Ao priorizar a aquisição de produtos com o documento, além da legalidade da relação de consumo, muitos aborrecimentos podem ser evitados, haja vista que a nota fiscal baliza a garantia do produto adquirido”, destaca.

Eficiência energética

Os produtos eletrodomésticos devem apresentar a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE), que informa sobre o consumo energético. Já as lavadoras e fogões devem apresentar, também, informações sobre o consumo de água e gás, respectivamente. O consumo de energia é indicado por uma escala colorida com letras de A [mais eficiente] a G [menos], que apresentam os níveis de consumo do aparelho.

Selo ruído

Secadores e pranchas de cabelo, torradeiras, sanduicheiras e fornos elétricos estão entre as preferências para presente de Dia das Mães. Neste caso, a AEM alerta que o consumidor deve sempre ter o cuidado de observar se o produto ostenta o Selo de Identificação Inmetro na embalagem. É ele que atesta que a mercadoria foi avaliada quanto à segurança. Já os liquidificadores e secadores de cabelo, que são aparelhos que produzem muito barulho, a orientação é buscar o Selo Ruído, que informa a potência sonora em decibéis e classifica os aparelhos de 1 (mais silencioso) a 5 (menos silencioso). A identificação deve estar colada na embalagem.

Roupas

Para o consumidor que optar por presentear a mãe com roupas, é importante estar atento à etiqueta do produto. Nela deve conter todas as informações necessárias para o consumidor: dados do fabricante ou do importador, CNPJ da empresa fabricante, país de origem, composição têxtil, cuidados de conservação e indicação de tamanho. Todas as informações devem estar escritas em português. A AEM destaca que algumas pessoas têm reações alérgicas com o contato da pele com alguns tecidos. Por isso, é fundamental que o consumidor saiba qual é o produto que está adquirindo. “A etiqueta é a orientação de segurança ao usuário e a garantia de que o uso correto não trará problemas”, informa o presidente da AEM, Rérison.

Via: Coluna do CT

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *